quinta-feira, 12 de maio de 2016

DICAS DE FINANÇAS PESSOAIS - CAFÉ&CIDADE





O vereador da Cidade de Paulista em Pernambuco, Fábio Barros, realiza semanalmente um encontro com profissionais da cidade ou com profissionais com expressão no Estado de Pernambuco para discutir assuntos de interesse da população. O encontro chama-se CAFÉ&CIDADE, no encontro desta semana fui uma das convidadas para falar sobre Educação Financeira, dicas de como podemos organizar nossas finanças pessoais para não acumularmos dívidas. Como convidado presente estava também o especialista em marketing digital, EmanuelOmena, da empresa Fideli-Z. Acompanhe abaixo e compartilhe!
Foto: Alexei Joseph

FÁBIO BARROS: Sobre o assunto Educação Financeira, o que é realmente importante que se aprenda?
ALDINEIDE RIOS: Podemos dizer que Educação Financeira é um conjunto de atitudes que devemos ter desde cedo, como por exemplo aprender a gerar renda, aprender a poupar, a economizar, a gastar o nosso dinheiro com sabedoria. Infelizmente no Brasil vemos uma cultura totalmente diferente em relação a isso. As pessoas, mesmo adultas, não sabem lidar com suas contas pessoais, não foram ensinadas a isso.
FÁBIO BARROS: É algo que deveria ser ensinado as crianças, por exemplo?
ALDINEIDE RIOS: Sim, claro. Deveríamos tratar desse assunto nas escolas como matéria na grade curricular. Existe uma lei para isso em São Paulo. Infelizmente aqui em Pernambuco ainda não temos essa lei. Mesmo assim, algumas escolas particulares já se adiantaram e colocaram o tema como disciplina nas salas de aula. A idéia é que o filho aprenda e repasse esse conhecimento aos pais que não tiveram essa formação.
FÁBIO BARROS: Qual o grande vilão do acúmulo de dívidas?
EMANUEL OMENA: Ainda é os cartões de crédito. Ele nos permite uma falsa sensação do poder de compra, que temos dinheiro sobrando e podemos comprar mais com isso. O que acontece é que gastamos tudo que ganhamos, muitas vezes mais do que realmente temos. É assim que nasce a dívida. Fomos ensinados a ganhar dinheiro, mas não a gastá-lo corretamente.
EMANUEL OMENA: Temos hoje uma psicologia da venda, que chamamos de neuro marketing. Toda essa informação é usada para conquistar cada vez mais o cliente. O consumidor recebe estímulos diários de compras. Como nos proteger desse problema?

FÁBIO BARROS: É difícil quando falamos de adultos, pois há um hábito pré estabelecido. É preciso que eduquemos corretamente nossas crianças, para que inclusive sejam exemplos para seus pais. Além do pensamento empreendedor que pode vim estimulado pelas escolas, criei um Projeto de Lei que será apresentado na próxima quinta (12), que proteje as crianças desse estímulo ao consumo exagerado nas escolas. 

3 comentários:

prosiga.net disse...

Gostei, parabéns pelo trabalho.

BBens Promotora disse...

Infelizmente é uma das maiores dificuldades, o que torna uma nação escrava e pobre ao mesmo tempo. Claro que não se deve guardar apenas o dinheiro, mas rentabilizar os ganhos.
Uma grande empresa por exemplo, pode incentivar os funcionários a ganharem rentabilidade com as empresas que elas compram, 60% do capital da empresa e 40% do capital dos funcionários, o que geraria uma renda extra a cada funcionário e com opção de venda após desligamento da empresa.
Nesse quesito há muitas opções, mas geraria uma sensação de dono do negócio e incentivaria a poupança.

Antonio Batalha disse...

Estou alegre por encontrar blogs como o seu, ao ler algumas coisas,
reparei que tem aqui um bom blog, feito com carinho.Posso dizer que gostei do que li e desde já quero dar-lhe os parabéns, decerto que virei aqui mais vezes.
Sou António Batalha.
Que lhe deseja muitas felicidade e saúde em toda a sua casa.
PS.Se desejar visite O Peregrino E Servo, e se o desejar siga, mas só se gostar, eu vou retribuir seguindo também o seu.
A Verdade Em Poesia.