segunda-feira, 11 de junho de 2012

CASAL: QUANDO AS FINANÇAS SÃO MOTIVOS DE BRIGA


As diferenças fazem parte. Muitos casais convivem muito bem com a frase "os opostos se atraem". No entanto, se as divergências envolvem finanças, o problema pode ser maior do que se pensa. Quando um preza pela poupança enquanto o outro não se controla nos gastos, é briga certa. E a palavra apaziguadora é planejamento. O Dia dos Namorados está aí e o Diario ouviu especialistas que trouxeram dicas de como organizar as finanças no relacionamento.


Dicas do consultor financeiro Gustavo Cerbasi, autor do livro Casais inteligentes enriquecem juntos, e de Aldineide Rios, autora do blog Feliz e sem dívidas.


1. Dedique uma hora por semana para cuidar das finanças

Procure fazer uma planilha com despesas de alimentação, transporte (passagem ou combustível), pequenas compras e lazer. Lembre de considerar gastos com o filho, se tiver. Analise também a semana que passou e quanto representou dos valores mensais. Trace metas com base nesses dados.


2. Poupe e invista

São três reservas: uma para emergências, outra para realizar sonhos e a terceira para investir a médio e longo prazo. Os sonhos devem ser mensuráveis (exemplo: uma semana em Fernando de Noronha, R$ 5.000) e com prazo definido (seis meses para juntar). Divida o valor entre os dois de acordo com a receita - quem ganha melhor, pode contribuir com mais. Definido o destino, por exemplo, vocês já devem procurar promoções de passagens aéreas e hospedagem, economizando ainda mais.


3. Estabeleça prioridades

Se está devendo, faça uma lista dos seus credores. Aqueles que cobram maior taxa de juros devem ser pagos primeiro - cheque especial e cartão de crédito. Se tiver poupança, use-a para quitá-los - o rendimento não compensa os juros cobrados. Em segundo lugar, em geral, vêm os financiamentos de eletrodomésticos e eletrônicos. Por último, financiamento de automóveis, crédito consignado e pessoal.


4. Procure uma renda extra

Se ainda assim, as contas estão apertadas, procure uma receita a mais, mesmoque seja temporária. “Faça bicos, venda alguns bens, veja se você realmente precisa do pacote completo da tv a cabo ou pode mudar para um mais modesto e mais barato”, indica Cerbasi. Vale explorar um talento (cozinhar, costurar, desenvolver sites) ou fazer parcerias com amigos. E sempre negocie com o credor, procurando melhores taxas e parcelas que caibam no seu orçamento.


5. Compre com antecedência

Fazendo uma lista de presentes para comprar durante o ano, como os de aniversários de amigos e familiares, Dia das Mães e Dia dos Pais, você pode
comprá-los com desconto e mais calma. “Para que comprar correndo? Se você vir algo que é a cara da pessoa, mesmo que a festa só seja em dois meses, pegue e guarde”, recomenda Aldineide. O mesmo vale para o material escolar dos filhos, por exemplo. Antecipar a relação de livros com o colégio para outubro ou novembro, antes do reajuste de preços, pode trazer uma boa economia.


6. Não deixe a discussão ir para o lado pessoal

Dinheiro é sempre um assunto delicado. Falar para o outro quanto ganha e quanto gasta nem sempre é confortável, mas lembre-se que juntar as receitas não significa anular a individualidade. Evite criticar o outro e esfrie a cabeça antes de discutir, evitando que uma pequena questão financeira se torne uma briga passional.




FONTE: DIÁRIO DE PERNAMBUCO






DEIXE SUA DÚVIDA OU COMENTÁRIO ABAIXO.

2 comentários:

Andrea disse...

OI...adorei o blog e vou precisar muito das dicas estou como muitos com muitas dividas ... .beijos

Aldineide Rios disse...

\o/ Valeu!