segunda-feira, 25 de junho de 2012

Dinheiro: fácil de gastar e difícil de poupar!



Entra e sai mês e você fica se perguntando: vale a pena guardar dinheiro para o futuro ou seria melhor gastar e comprar aquele celular maravilhoso no cheque especial ou então “colocar” aquele tablet no cartão de crédito. Para a maioria das pessoas, fazer dívidas ainda é o caminho mais rápido para adquirir aquilo que levaria alguns meses de disciplina e renúncia. A velocidade em sacar o dinheiro de plástico da carteira é inversamente proporcional ao tempo médio que o brasileiro leva para quitar as dívidas que não cabem mais no bolso.

Pesquisas indicam que aumentou o número de cheques devolvidos e também o número de pessoas com prestações em atraso (os inadimplentes) em 2012.

E se grande parte da renda mensal está comprometida com prestações e parcelas no cartão de crédito, como guardar dinheiro então? E por que guardar dinheiro?

Perguntas simples, merecem respostas mais simples ainda. Como guardar dinheiro? Que tal começar a fazer um planejamento. Assim que receber seu salário ou sua renda mensal, separe logo o dinheiro que “pretende” guardar todo mês. Podem ser R$ 10, R$ 20, R$ 100, R$ 1.000 ou mais. Lembre-se: não existem fórmulas prontas, pouco ou muito. Cada caso é um caso. O importante é formar o hábito de poupar e poupar todo mês, sem traumas. Ao mesmo tempo, comece a analisar seus gastos mensais. Muita coisa pode e deve ser cortada. Você irá se surpreender!

E por que guardar dinheiro? Afinal de contas, guardar por guardar, não faz sentido. Aí, vale a dica de quem já sofreu com isso e aprendeu com a vida e com os livros. Defina claramente o que chamamos de objetivos de vida. Anote seus sonhos numa folha de papel (ou numa planilha Excel): comprar o carro, a moto, a casa; viajar; pagar uma plástica ou montar o consultório. Separe-os pelo tempo necessário a sua realização: sonhos de curto, médio e longo prazos, porque é preciso definir o horizonte de tempo. Depois, pesquise quanto custa cada sonho e determine o montante que precisará guardar para realizá-los.

O importante é sair da tradicional rotina do endividamento eterno e migrar para a vida de poupador. E se ainda tiver dificuldades, procure ajuda com um planejador financeiro pessoal. Este profissional poderá auxiliá-lo a definir a estratégia mais adequada para a realização de seus sonhos.

Texto publicado na Coluna ECONOMIA - Denise Estrella

Jornal Gazeta Niteroiense - www.gazetanit.com.br
Edição Nº 44 – Semana de 16 a 22 de junho a de 2012.

4 comentários:

Andrea disse...

Meu problema hoje não é nem poupar é como ganhar .

Aldineide Rios disse...

Andrea, use a criatividade, abra a mente pois o mundo está CHEIO de oportunidades.

Mariana disse...

Meu problema é que cada mês gasto em algo distinto e nunca consigo me recuperar.
O cartão de credito chega com muito dinheiro para pagar, e acho que vou ter que falar com algum consultor pessoal sobre o assunto...

Aldineide Rios disse...

Mariana, se você não tem controle sobre os gastos do cartão então suspenda o uso deles.

faça cortes radicais e compre apenas o necessário.

Assista ao filme delírios de consumo e veja o exemplo.